Ir para navegação principal Ir para pesquisa Ir para conteúdo Ir para rodapé
(0) Favoritos

Pandemia mantém para 2021 tendência de transformar casa em ‘refúgio confortável’

Especialista em design de interiores explica que isolamento social reconectou as pessoas ao ambiente doméstico. Lares, além de saudáveis e sustentáveis, devem ser locais que estimulem a criatividade. A pandemia de coronavírus que atingiu o mundo de forma violenta e trágica neste 2020 que se encerrou ainda pode ter algum aspecto positivo. Pelo menos na opinião de Maria Antônia de Souza Zeca, professora do curso Técnico em Design de Interiores, do Senac de Bauru (SP), que aponta 2020 como um ano interessante para a sua área de estudos. Segundo a especialista, a casa, enquanto conceito de lar e abrigo, foi positivamente repensada durante a pandemia porque o isolamento social ajudou as pessoas a se reconectarem com os ambientes domésticos. Segundo a docente, não apenas para derrubar o aspecto de “prisão” que num primeiro momento as casas assumiram, mas porque o isolamento acabou fazendo com que muitas pessoas transformassem o espaço da sua casa num lugar que precisava ficar mais bonito e funcional. Para 2021, a especialista acredita que a pandemia continuará provocando impactos positivos na maneira de cada pessoa viver e morar. “A tendência, relacionada à ambientação residencial, é que nossas casas se tornem cada vez mais um refúgio confortável, um lugar que estimule a criatividade e que reflita nossas necessidades, experiências e histórias. A nossa casa também precisa ser um lugar saudável e sustentável”, diz Maria Antônia. A docente destaca que a pandemia causou uma mudança geral na forma como vivemos, trabalhamos e moramos. Ela explica que as casas se transformaram nos escritórios para os pais, nas salas de aula para os filhos, no local de cultura, lazer e convivência restrita da família. O home office, que antes tinha uma função mais casual, atendendo a pequenas tarefas, agora requer de grandes superfícies de trabalho, cadeiras de tarefa confortáveis, sofisticados equipamentos de informática e espaço de armazenamento expandido para suportar um uso muito mais intenso. “Todos da casa sentiram a necessidade de renovar os ambientes, adaptando áreas externas, sacadas, valorizando a luz natural, as plantas, os animais domésticos. O conceito de múltiplo uso também cresceu, com o aproveitamento de áreas ‘esquecidas’ para virar espaços para malhar, assistir filmes e outras atividades que mantêm a família entretida na pandemia”, diz. Tendências e sensações A professora especialista em design de interiores explica que o tempo extra dentro de casa vai transformar em tendência da decoração a procura por conforto e funcionalidade. (Veja abaixo as tendências em várias áreas) Um bom exemplo disso, diz a especialista, são as transformações que atingiram as antigas salas de jantar, de caráter formal e utilizadas em raras ocasiões, que começaram a receber móveis mais simples e leves, permitindo uso constante. A procura por sofás e poltronas com visual confortável, para que realmente se possa descansar, assistir à TV ou ler um bom livro é outro exemplo. “Pensar em espaços mais aconchegantes e confortáveis é pensar em madeira, mas em 2021 ela virá suave e clara para que não pese no ambiente. Outro conforto começa a ser buscado através da presença das cores, acentuando as paredes e trazendo um pouco mais de personalidade”, diz Maria Antônia. Segundo ela, uma sensação que os moradores buscarão com a decoração em 2021 é a distração, o que poderá ser alcançado no uso de formas geométricas, onde cada formato atrai a atenção do morador. Outra sensação que a decoração buscará ete ano é a de estar em outro local, com o uso de quadros, imagens ou desenhos de praia, palmeiras, areias que podem transmitir um novo humor. Por fim, explica a docente, as cores são outro ponto que a decoração de ambientes pode explorar para trazer diversas sensações. Pra ela, a simples troca das almofadas, tapetes, tecidos e objetos coloridos podem contribuir para alterar as emoções. “Além de tudo isso, também terá destaque tudo que conta história, como objetos de herança que permaneciam nos armários ou nas gavetas. Eles sairão para trazer boas lembranças e o pertencimento de família, acalmando as incertezas provocadas pela pandemia”, diz Maria Antônia. Itens que serão tendência para 2021 Vegetação dentro de casa - sempre em alta, mas agora mais ainda, pois este item leva a natureza mais próxima dos moradores, aliviando a sensação do confinamento. Refrescantes, calmantes, esculturais, funcionais e estéticas, as plantas colaboram para a saúde mental das pessoas. Jardins comestíveis - ideal para quem gosta de ter ao alcance seu próprio tempero, as plantas comestíveis continuam em alta em 2021. Ter suas próprias ervas e vegetais recém-cultivados é o ideal para criar pratos e bebidas. Existem vários tamanhos, perfeitos para uma cozinha ou uma janela ensolarada. Cores - outro item indispensável para se pensar neste ano. Saindo das cores neutras e buscando colorir principalmente as paredes das áreas comuns, como hall de entrada, sala de estar, área de lazer, que agregam personalidade e despertam diversas sensações. Quadros - sempre foram peças-chave de decoração e continuarão a ser em 2021. Sem muita complicação, eles transformam a decoração, dando cara nova aos ambientes. Para dar um ar mais contemporâneo, a tendência é juntar várias peças numa mesma parede ou apoiá-los sobre móveis. Vasos - até mesmo sem plantas ou arranjos florais, os vasos são tendências para 2021. Um exemplar bem trabalhado, com design criativo proporciona sofisticação ao ambiente. Pode ser peça única ou várias numa composição. Luminárias - levarão para as casas um clima de aconchego e personalidade. A luz natural é importante e necessária, mas o encantamento e a magia da iluminação artificial são fundamentais. Artesanato - outra tendência para 2021 são os artesanatos. Esses objetos se mantêm em alta valorizando a simplicidade, o rústico e os elementos naturais. As peças em destaque ficam por conta das tapeçarias de parede, objetos de tecidos naturais e muita madeiras e pedras. Espelhos - permitem compor ambientes criativos e diferentes. Estão associados à elegância e contribuem para dar mais requinte à casa. A tendência vai para os diferentes tamanhos, formas, designs e molduras. Os megaespelhos devem ser encostados nas paredes, e não pendurados. Lousas - este item era pouco usado, mas agora as lousas são perfeitas para quem gosta de criatividade na decoração. Tendência para 2021, pois dão um toque lúdico e divertido aos ambientes.